91ª CIPM REALIZA APREENSÃO DE ARMA DE FOGO EM ITATIAIA

Compartilhe

Nesta quinta-feira (14), por volta das 12h30, policias militares da 91ª CIPM foram informados acerca de um disparo de arma de fogo, supostamente acidental, ocorrido no Distrito de Itatiaia, município de São José do Jacuípe.

Logo, ao comparecer no local, os policias confirmaram a veracidade do fato, no qual o indivíduo alvejou a própria virilha. O mesmo foi socorrido e encaminhado à UPA de Capim Grosso.

A guarnição localizou o revolver calibre .38, com dois cartuchos, um intacto e outro deflagrado., o qual, foi recolhido e apresentada na Delegacia de São José do Jacuípe.

*PMBA, uma Força a serviço do cidadão!*

Fonte: ASCOM 91ª CIPM

Você Tomaria A Vacina do Covid-19 Mesmo Sabendo Que Pode Morrer?
Notícias

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, é alvo de mandado de prisão preventiva em uma operação da Polícia Federal (PF), deflagrada nesta quarta-feira, 22. Batizada de “Acesso Pago”, a investigação tem como foco a “prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos” do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb). Segundo informações da corporação, documentos, depoimentos e o Relatório Final da Investigação Preliminar Sumária da Controladoria-Geral da União apontam que “foram identificados possíveis indícios de prática criminosa para a liberação das verbas públicas” na pasta. Milton Ribeiro é investigado pela PF desde março por suposto esquema de favorecimento e liberação de verbas a pastores dentro do Ministério da Educação. O religiosos Gilmar dos Santos e Arilton Moura são apontados como membros de um gabinete paralelo do MEC, sendo responsáveis por intermediar reuniões entre os prefeitos e o ministro Milton Ribeiro. Os pastores também são alvo de investigação da Polícia Federal. Ao todo, são cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e cinco prisão nos Estados de Goiás, São Paulo, Pará, além do Distrito Federal. Segundo a Polícia Federal, outras medidas cautelares também são efetuadas, como a proibição de contatos entre os investigados e envolvidos. A ordem judicial foi assinada pelo juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Distrito Federal e cita como tipo penal “corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência. Audiência de custódia presencial está marcada para esta quinta-feira, 23, em Brasília, às 14 horas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu